Realidade Virtual: O que é, como usar e quais as vantagens?

Realidade Virtual: O que é, como usar e quais as vantagens?

Quem nunca ouviu falar de Realidade Virtual (RV) e já se imaginou com aqueles óculos, experimentando essa outra realidade que permite a imersão em um universo completamente diferente, com sons, cenários, e às vezes até elementos táteis para uma experiência completamente diferente do que já vimos até então? E, a verdade é que não é uma tecnologia nova, mas é uma tecnologia, que, até alguns anos, era distante de muitas realidades.

E, claro, ela foi, ao longo dos anos, sendo adaptada para a Arquitetura também! Afinal de contas, quem não quer poder vislumbrar como será andar pela futura casa ainda com ela na planta? Perceber cada detalhe e fazer trocas de materiais ainda no começo, sem a necessidade lá pra frente da devolução ou de gastos desnecessários, porque esta, meus amigos, é uma tecnologia que auxilia muito a entender melhor todas as alterações que precisam ser feitas no projeto.

Além de possibilitar sensações mais reais, a RV permite que as combinações sejam mais precisas dentro do ambiente, tanto no que diz respeito a decoração, quanto ao uso de acabamentos específicos, permite que os problemas sejam detectados de forma mais rápida, por exemplo, é possível verificar antecipadamente se a iluminação ficará da forma como foi pensada ou não.

Ok, mas como podemos usá-la então?

Porque não basta eu falar do tempo que se ganha e dos gastos que se evita e não mostrar o caminho das pedras, não é mesmo? Para entender melhor, essa tecnologia pode ser gerada por computador, videogame, smartphone e programas com tecnologia 3D, e, existem softwares, já voltados para o universo arquitetônico, que permitem a transposição dos projetos para visualização de casas, prédios, salas, praças, etc.

Pra começo de conversa, é preciso fazer o projeto em 360°, gerando uma imagem em panorama, depois disso, utilize um software ou aplicativo para ler este arquivo e permitir a apresentação dele.  Os desenhos podem ser feitos nos programas normais de Arquitetura, como o Sketch Up e depois renderizado pelo Lumion por exemplo e, depois para transformá-los em RV, é necessário ter alguns específicos como:

Visidraft

É um aplicativo simples se comparado a outros, ele permite que os objetos sejam vistos em 3D e em RV quando a câmera é apontada para o ambiente. Compatibilidade: AutoCAD, Revit, 3DS Max Platforms, SketchUp da Trimble, Nemetschek Vectorworks e ArchiCAD.

SmartReality

Quando scaneia uma planta, não importa a dimensão, se 2D ou 3D, o SmartReality já converte para RV, deixando o usuário andar pelos cômodos e acompanhar o que foi criado. É compatível com programas em 3D.

SentioVR

É um dos mais conhecidos do meio, é totalmente dedicado a apresentações em 360° que podem ser vistas em RV, é um aplicativo que roda no navegador. Atualmente uso este em meu escritório e super recomendo. Simples de manusear e exportar, você pode gerar a imagem em panorama pelo Lumion, pegar a imagem e colocar no site SentioVR, onde ele irá gerar automaticamente o projeto em 360° para você usar em seu óculos de RV.  

Iris Prospect

Compatível com o Revit e Sketchup, o programa também pode ser utilizado sozinho, ele converte plantas e modelos 3D em realidade virtual. 

Esses são apenas alguns programas e aplicativos disponíveis no mercado, para quem entrará neste universo agora, o ideal é encontrar um que melhor se encaixe ao seu trabalho. Quanto aos óculos de realidade virtual, nem sempre são baratos, e são poucas opções disponíveis.

O que eu uso é o da Samsung que é compatível com o meu celular e ao programa SentioVR que citei anteriormente. O valor do investimento não foi alto, pois levei em consideração a durabilidade e a quantidade de projeto possíveis para apresentar com ele.